HomeDifesa con armiGlossário de armas de fogo

Glossário de armas de fogo

Acciarino: dispositivo mecânico projetado para fazer com que a carga seja ligada. Um termo usado principalmente para armas de carregamento de pedra, também é usado para definir o mecanismo de percussão de armas de inclinação de carregamento traseiro (sobreposição, doublet, express).

Arquebus: rifle antigo com um barril de cerca de 1.000 mm de comprimento. O termo vem da palavra “archibuso”, que significa “instrumento perfurado que faz o efeito do arco”.

Carga frontal: sistema de carregamento que envolve a introdução de poeira e a bola da boca da arma ou, no caso de um revólver de carga frontal, da boca de cada câmara de tambor.

Dupla ação: configuração do sistema de tiro para o qual pressionar o gatilho causa tanto o armamento do cão quanto sua liberação.

Ação mista: configuração do sistema de tiro para o qual é possível filmar ambos em dupla ação, e armar o cão manualmente e atirar em ação única. Geralmente, em uma pistola semiautomática com ação mista o primeiro tiro pode ser explodido na escolha do atirador, enquanto os subsequentes explodiram em Ação Única desde que o carrinho automaticamente arma o cão.

Ação única: configuração do sistema de gatilho para o qual a pressão do gatilho causa apenas a liberação do cão, que deve então ser armado por meio de uma ação mecânica adicional e independente (pressão do dedo do atirador ou, em uma arma semiautomática, retração do carro).

Bacia: também chamada de tigela. Pequena bandeja presa ao mecanismo de disparo de uma arma de carregamento frontal com pés de pedra, destinada a conter a poeira fina para a ignição do cartucho.

Bascula: é a parte central dos chamados rifles de inclinação (doublets, sobreposição, perfuração, cano único). Feito de aço ou liga leve, tem a função de suportar os barris (que são articulados a ele), o mecanismo de fechamento, o mecanismo de gatilho e o estoque. A parte inferior é chamada de peito, as partes laterais são chamadas de quadris. A parte inferior do bascula é, em vez disso, a parte que abriga os crampons fechando as palhetas. Em um doublet, a placa bascula é a parte em que a parte de trás das hastes repousa. A face inclinada é a parte em que as almofadas do cartucho repousam.

Tambores: mecanismo de disparo de percussão; o termo também indica um agrupamento de várias armas de fogo confiadas a um único comandante.

Bergstutzen: Termo alemão para o rifle inclinado com dois barris sobrepostos, ambos com um núcleo listrado.

Shell: recipiente cilíndrico, geralmente feito de latão, cobre ou ferro macio, que contém e mantém juntos a bala, poeira e ignição. Sua principal função, além de proteger os componentes dos agentes atmosféricos, é selar hermeticamente a culatra se expandindo durante o tiro, evitando assim saídas perigosas de gás em direção ao atirador.

Queda: Mudança descendente do ponto de impacto de um projétil em relação ao ponto alvo com os órgãos de mira calibrados para uma distância mais curta.

Cálcio: parte terminal do estoque, contra a qual o ombro repousa. O termo também pode se referir à muleta removível usada por algumas armas para permitir tiros do ombro.

Calibre: diâmetro do cano de uma arma, medido entre os vazios da ranhura. Pode ser expresso em milímetros ou em décimos de polegada. Em armas de furo liso, o calibre é dado pelo número de bolas de chumbo esféricas do diâmetro do barril que fazem o peso de uma libra. Por exemplo, o calibre 12 é assim chamado porque no peso de uma libra estão 12 bolas esféricas do diâmetro do barril (18,2 mm).

glossário de armas de fogo

Câmara estourada: cavidade colocada na culatra do barril (nos revólveres está dentro do tambor), dimensionada para acomodar o cartucho.

Parte da arma, na forma de um martelo, fulcrated no barril em sua extremidade inferior e livre para girar em sua extremidade frontal. Seu objetivo é acertar o gatilho do cartucho, diretamente ou por meio de um atacante, causando o início do tiro.

Barril: parte de uma arma, geralmente consistindo de um tubo, atravessado pelo projétil impulsionado pela combustão da poeira. Ele tem o duplo propósito de permitir que o projétil o impulso propulsivo por um tempo suficiente para atingir a velocidade máxima e dar à bola a precisão e estabilização necessárias a serem direcionadas ao alvo.

Barril manométrico: é um barril especial usado para testar as pressões desenvolvidas por um determinado cartucho. Na câmara é perfurado um orifício lateral, que se comunica com um pistão. Este último, no tiro, comunica o impulso determinado pela deflagração da carga a um cilindro de cobre, deformando-o. A medição da deformação do cilindro determina a pressão (método triturador). Há também outro método, chamado “transdutor”, que em vez do pistão com o cilindro de cobre usa um cristal de quartzo particular. Este último retorna uma tensão elétrica proporcional à pressão a que está submetida, permitindo uma medição mais precisa.

Carabina: este termo indica uma arma longa com um cano entre 475 mm e 550 mm de comprimento. No jargão, o termo carabina é usado para indicar o cano de rifle, ao contrário do rifle de furo liso.

Parte da arma que contém os cartuchos. É uma linha única quando os cartuchos são mantidos em uma única coluna, dois fios quando os cartuchos são dispostos em duas colunas.

Carro: parte das armas automáticas de repetição, consiste em um bloco prismático que suporta o obturador (às vezes é uma única peça com a última) e desliza dentro do castelo, proporcionando as operações de alimentação do cartucho, extração e ejetação do projétil disparado.

Cartucho: conjunto composto por bala, caixa de cartucho, pó e gatilho.

Cartucho de agulha: caixa de cartucho de metal, equipada com um plugue de latão ou ferro saliente da borda do caseback que, atingido pelo cão, comunica o impacto à cápsula de ignição, colocada dentro da caixa. O cartucho foi desenvolvido pelo armeiro Houillier em 1847 e usado até o final do século XIX.

Castelo: estrutura de suporte de uma arma, que suporta e conecta o barril, a alça, os mecanismos de disparo e fechamento e o tanque.

Cip: sigla para Comitê Internacional para o Teste de Armas Pequenas. É o organismo europeu que estabelece os padrões dimensionais e de pressão para cartuchos comerciais.

Coccia: fim parte do punho da pistola de um rifle.

Coeficiente balístico: indica a resistência menor ou maior oferecida pelo projétil na travessia do ar. Obtém-se dividindo a densidade seccional pelo coeficiente de forma, variável complexa também ligada à velocidade. O coeficiente balístico é, geralmente, menor que 1: quanto maior o valor, melhor o comportamento da bola em voo.

Gola: frente da caixa, com a intenção de segurar a bala.

Combinado: rifle inclinado com dois barris, geralmente sobrepostos, um com um núcleo liso e o outro listrado.

Forçando o cone: em revólveres indica a parte traseira, sem rifle, do cano que supervisiona a “força” da bola nos rifles.

Contraplaca: latão ou folha de aço, muitas vezes na forma de um “L”, que em armas de carregamento frontal é inserido na caixa de madeira no lado oposto da placa. Serviu para garantir que a cabeça dos parafusos de fixação da placa não repousasse diretamente sobre a madeira, danificando-a.

Bermuda: parte de trás do barril, que geralmente abriga a câmara do cartucho.

Densidade seccional: a razão do peso do projétil, expresso em libras, ao diâmetro quadrado, expressa em polegadas. Desvio padrão: quantidade numérica usada para saber a constância entre vários tiros do mesmo lote de cartuchos de calibre idêntico. Ele é obtido obtendo a média das velocidades de todas as tomadas e subtraindo esses dados de cada medição individual. Você tem números (positivos e negativos) que são chamados de scraps. Se fizéssemos o…

Densidade seccional: a razão do peso do projétil, expresso em libras, ao diâmetro quadrado, expressa em polegadas.

Desvio padrão: quantidade numérica usada para saber a constância entre vários tiros do mesmo lote de cartuchos de calibre idêntico. Ele é obtido obtendo a média das velocidades de todas as tomadas e subtraindo esses dados de cada medição individual. Você tem números (positivos e negativos) que são chamados de scraps. Se fizéssemos a soma das sucatas, obviamente obteríamos zero. Todas as sucatas devem ter um sinal positivo, para que todas as sucatas sejam ao quadrado, adicionando os dados obtidos e dividindo-os pelo número de medições feitas. Finalmente, extraindo a raiz quadrada, o Desvio Padrão é obtido. Exemplo: três medições cronográficas deram os seguintes valores: x1=233 m/seg, x2=234 m/seg, x3=228 m/seg; a média dos resultados é de 231,7 m/seg. Subtrair esses dados de cada leitura rende: +1,3; +2,3 e -3,7. Se não tivéssemos arredondado o decimal da média, o resultado da soma dos desvios seria 0.

Subindo para a praça, são obtidos valores positivos, 1,69, 5,29 e 13,69, sendo 20,67. É dividido por 3 (ou seja, o número de inquéritos realizados) e 6,89 são obtidos. Ao extrair a raiz quadrada, obtemos nosso Desvio Padrão, igual a 2,62.

Diopter: dispositivo usado em carabinas para direcionar precisamente a arma para o alvo, em conjunto com o visor. Geralmente colocado na parte traseira do castelo, ele consiste em um plinth que carrega uma placa feita de metal ou outro material com um orifício central. Para mirar com o dicter, você olha com o olho através do buraco até encontrar o visor no centro do último e colidindo ambos para o alvo.

Duplo: rifle de dois tiros, equipado com dois barris independentes dispostos um ao lado do outro. Diz-se, mais apropriadamente, rifle de cano justtaposed.

Atrás: parte de trás da alça, em inglês chamado backstrap.

Perfuração: rifle inclinado equipado com três barris, as calças das quais são dispostas a formar um triângulo com o vértice na parte inferior. As duas palhetas superiores, lado a lado, são geralmente lisas, enquanto a inferior, central, é listrada. É um tipo de arma usada exclusivamente para fins de caça, difundida especialmente na Europa Central.

Glossário de armas de fogo E-G

Ejector: este termo geralmente indica o extrator automático de uma arma aérea. Isso, depois de extrair o caso da câmara por alguns milímetros, expulsa-o violentamente, pela ação de uma mola.

Elevador: insola metálica ou plástica que comunica o impulso da mola do tanque para os cartuchos.

Elsa: Parte da alça de uma pistola semiautomática que cobre a porção da mão entre o polegar e a testa.

Ejetor: dispositivo projetado para projetar o projétil disparado para fora da arma.

Extrator: alavanca articulada ao obturador ou barril que extrai o projétil ou cartucho disparado da câmara de estouro.

Expresso: rifle inclinado com dois barris justtaposed ou sobrepostos. Comparado com o doublet ou a sobreposição tem a peculiaridade de ter ambas as hastes listradas.

Fator de potência: parâmetro usado em Tiro Dinâmico, é expresso pela fórmula PxV/1000, onde P é o peso do projétil em grãos, V a velocidade de pé por segundo. Nas categorias Padrão, Modificado e Revólver, Major é considerado um fator maior que 170, Menor um fator entre 125 e 169,9. Para o Open, por outro lado, o fator Principal começa a partir de 160, enquanto para a Produção o fator é único e desde que não seja inferior a 125. A diferença é importante, pois se acertar a zona “A” (a central) das silhuetas de papel usadas nas corridas você atribui 5 pontos em qualquer caso, atirando no fator Principal você atribui 4 e 2 pontos acertando as áreas mais externas “C” e “D”, enquanto atirando em Menor os pontos são respectivamente 3 e 1.

Focone: pequeno orifício que conecta o assento da ignição com a câmara de pó da caixa. Também é chamado de buraco de vampiro. Em armas de carregamento avançado, é o canal estreito que conecta a culatra do barril com a tigela (armas de pedra) ou com a cápsula (armas de percussão).

Caseback: a parte de trás da caixa, incluindo a baça de aderência do extrator.

Rifle: este termo geralmente significa uma arma longa com um cano com mais de 550 mm.

Rifle de agulha: desenvolvido pela primeira vez pelo armeiro prussiano Johann Nikolaus Von Dreyse em 1848, consiste em um rifle com o cano fechado na parte traseira por um obturador cilíndrico deslizante, dentro do qual uma haste de aço fina (agulha) estalando empurrada por uma mola, através de um pequeno buraco no obturador, atinge o gatilho do cartucho. Este último consistia em um papel ou invólucro de seda que envolvesse a bola, a poeira e o gatilho. Este último, geralmente, foi colocado entre a bola e o pó, então a agulha teve que passar por toda a carga de arremesso. Para evitar que o gás vazasse para o atirador, o obturador estava equipado com uma junta feita de couro, borracha ou outro material elástico.

Rifle de furo liso: arma longa destinada principalmente ao uso de munição de projéteis múltiplos (pelotas, paletes), uma vez que o barril, sendo desprovido de arranhões, não consegue estabilizar uma única bala normal. Para tiro com bola simples, projéteis especiais são usados com relevos helicoidais especiais que, pela ação do ar, preveem a rotação no eixo longitudinal essencial para estabilização em voo.

Rifle: arma longa destinada principalmente ao uso de munição mono projétil que, ao forçar no rifle, recebem um impulso rotacional em torno de seu eixo longitudinal, que estabiliza seu movimento em voo. O uso de munição de pelota não é recomendado em um barril de rifle, pois os arranhões deformam as pelotas causando um alargamento anormal do rosé.

Acerto: atitude de uma arma para acertar exatamente o ponto alvo. Geralmente, uma arma com órgãos de mira perfeitamente calibrados é definida como “direita”.

Gatilho: alavanca de forma mais ou menos arqueada que implementa a liberação do sistema de percussão sob a pressão do dedo indicador, causando o início do golpe.

Glossário de armas de fogo Fighting Tips - Street Fight Mentality & Fight Sport

Glossário de armas de fogo I-M

Endurecimento – fragilidade do metal devido à rigidez excessiva, causada por um grande número de deformações. Pode ser eliminado com a ressarção.

Gatilho: um dispositivo que faz com que a carga de lançamento do cartucho se acicione como resultado de uma colisão ou esfregação.

Kipplauf: Termo alemão com o qual é costume indicar o rifle de inclinação de cano único com um núcleo de rifle.

Luminello: luminária oca, aparafusada na culatra de uma arma de percussão, na qual a cápsula é colocada. Quando o cão bate na cápsula, a chama é transmitida através do interior do luminello para a carga colocada dentro do barril.

Placa de aço na forma de um “L” que, em armas de carregamento frontal em forma de pedra, é atingida pela pedra fixada ao cão, descobrindo a bacia e gerando as faíscas que acendem o pó de ignição.

Visão: uma pequena saliência colocada na parte frontal do cano de uma arma, feita de metal, plástico ou fibra óptica, que serve para direcionar precisamente a arma para o alvo. Em rifles de furo liso é geralmente o único dispositivo de mira presente, enquanto em armas de cano de rifle é usado em conjunto com o entalhe de pontaria.

Patridge Viewfinder: visor usado principalmente em armas de tiro acadêmica, é caracterizado pela forma da lâmina com a extremidade traseira quadrada e a extremidade dianteira arredondada.

Minissaia: extremidade superdimensionada da alça de uma pistola semiautomática destinada a tiro dinâmico. Ele visa melhorar a aderência e, graças a um sinalizador especial, facilitar a inserção do carregador em velocidade.

Mosquete – arma longa com um barril de menos de 475 mm de comprimento.

Munição quebrada: cartucho carregado com várias balas, geralmente balas ou paletes.

Glossário de armas de fogo Fighting Tips - Street Fight Mentality & Fight Sport

Glossário de armas de fogo O-R

Obturador: bloco prismático projetado para selar o cartucho dentro da câmara de estouro.

Bola seca: bala única (Brenneke, Gualandi, etc.) usada em rifles de furo liso. O termo é usado para distinguir este carregamento da pelota ou palete.

Pallettone: bola de chumbo maior que 5 mm, usada no carregamento de cartuchos para rifles de furo liso. Do ponto de vista legislativo, o cartucho de palete é assimilado ao carregado de pelotas.

Pelota: pequena bola de chumbo com diâmetro entre cerca de 0,7 mm e 5 mm. É usado no carregamento de cartuchos de espingarda.

Atacante: componente feito de aço ou titânio que transmite o impacto impresso pelo cão para o gatilho do cartucho, causando o início do tiro. Quando o tiro é causado pelo único atacante que, empurrado por uma mola, gera o impacto necessário para o tiro, diz-se que a arma funciona com um atacante disparado.

Placa: folha de aço que, em armas de carregamento frontal, suporta os componentes do mecanismo de disparo.

Precisão: a capacidade de uma arma de concentrar vários tiros distintos em uma área estreita do alvo, independentemente do ponto alvo.

Teste forçado: teste realizado pelo Banco de Testes para verificar a robustez e segurança do uso de uma arma. Normalmente, o teste envolve disparar um cartucho especial dispensando 25% mais pressão do que um cartucho comercial normal.

Carregamento traseiro: princípio de operação que envolve o carregamento da arma da culatra.

Revólver: também chamado de revólver. Uma arma de repetição curta geralmente equipada com um único barril e um tambor contendo quatro ou mais tiros. O armamento do cão faz com que o tambor gire por uma fração de uma curva, de modo que uma câmara esteja sempre alinhada com a culatra do barril.

Recalibrando: operação de recarga que envolve a passagem do caso dentro de uma matriz especial (morrer) para restaurar as dimensões originais possuídas antes do tiro.

Reenalização: processo utilizado no reabastecimento, que consiste em aquecer a coleira de um caso para eliminar o endurecimento, ou seja, rigidez excessiva devido a deformações repetidas.

Rifulation: sulco do núcleo do barril com duas ou mais ranhuras helicoidais. O rife tem o propósito de dar ao projétil um movimento rotativo em torno de seu eixo longitudinal, para estabilizar seu voo. O rifcing é geralmente identificado pelo número de ranhuras, chamados princípios, e seu tom, ou o comprimento de uma curva completa.

Rosata: conjunto de múltiplos impactos de tiros de uma única arma. Pode ser determinado pela explosão de um único tiro com várias balas (munição quebrada) ou por vários tiros com uma única bala cada.

Glossário de armas de fogo

Glossário de armas de fogo S-V

Saami: sigla para Instituto de Fabricantes de Armas e Munições de Pequeno Porte. É o corpo que, nos Estados Unidos, estabelece o padrão de tamanho e pressão dos cartuchos, da mesma forma que a CIP europeia.

Seguro: dispositivo de inserção manual ou automática que, quando ativado, impede o disparo. Ele pode atuar no dispositivo de gatilho, o atacante, o cão ou vários elementos ao mesmo tempo.

Liberação: este termo indica o instante em que, após a pressão do gatilho, o cão ou o atacante é liberado da ação do dente do gatilho e quebra, causando o início do tiro.

Ombro: porção afilada de conexão entre o corpo da caixa e a coleira, mais estreita. Se a casca é cilíndrica ou cônica com uma tendência constante, o ombro não está presente.

Sobreposição: rifle de furo liso equipado com dois barris independentes dispostos em cima um do outro.

Entalhe de mira: plinth metálico ou plástico, geralmente colocado na parte de trás ou parte mediana de uma arma de cano de rifle, com um entalhe que serve para direcionar precisamente a arma para o alvo, em conjunto com a visão. O objetivo é realizado olhando com os olhos através da escultura do entalhe de pontaria até encontrar o visor no centro deste último e colidindo ambos no centro do alvo.

Calibração: Ajuste os órgãos de mira de uma arma para fazê-la atingir o ponto alvo, ou um ponto que é um comprimento predeterminado do ponto alvo.

Breech ao vivo: parte de trás do barril.

Sprint ao vivo: parte dianteira do barril, também chamada boca.

Sprint: frente do barril.

Glossário de armas de fogo

Conclusões

Você não precisa aprender o glossário de armas de fogo de uma só vez, mas você pode quebrá-las por número ou letras e dar a si mesmo um objetivo alcançável.

Fiquem atentos!

Mentalidade de Luta de Rua

Andrea
Andreahttps://expertfightingtips.com
Con una passione per la difesa personale e gli sport da combattimento, mi distinguo come praticante e fervente cultore e ricercatore sulle metodologie di allenamento e strategie di combattimento. La mia esperienza abbraccia un vasto panorama di discipline: dal dinamismo del Boxing alla precisione del Muay Thai, dalla tecnica del Brazilian Jiu-Jitsu all'energia del Grappling, dal Combat Submission Wrestling (CSW) all'intensità del Mixed Martial Arts (MMA). Non solo insegno, ma vivo la filosofia di queste arti, affinando costantemente metodi e programmi di allenamento che trascendono il convenzionale. La mia essenza si riflette nell'autodifesa: Filipino Martial Arts (FMA), Dirty Boxing, Silat, l'efficacia del Jeet Kune Do & Kali, l'arte della scherma con coltelli e bastoni, e la tattica delle armi da fuoco. Incarno la filosofia "Street Fight Mentality", un approccio senza fronzoli, diretto e strategico, unito a un "State Of Love And Trust" che bilancia l'intensità con la serenità. Oltre al tatami, la mia curiosità e competenza si spingono verso orizzonti diversi: un blogger professionista con la penna sempre pronta, un bassista dal groove inconfondibile e un artigiano del coltello, dove ogni lama è un racconto di tradizione e innovazione. Questa sinfonia di abilità non solo definisce la mia identità professionale, ma dipinge il ritratto di un individuo che nella diversità trova la sua unica e inconfondibile voce e visione. Street Fight Mentality & Fight Sport! Andrea
RELATED ARTICLES

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here

Most Popular

Recent Comments

error: Content is protected !!